Débora mulher, mãe e líder


Algumas pessoas são líderes improváveis. Superficialmente, elas parecem não ter as características que geralmente associamos com grandeza e poder, são pessoas que ainda não encontraram seu caminho com Deus, podemos até citar que a oferta hoje é grande para desconcentrar as pessoas de seus propósitos, são pessoas que estão fora da liderança de Deus.

Mas vamos ver o exemplo de uma mulher na bíblia, na época dos juízes, uma mulher chamada Débora tornou-se líder de Israel. Pelos nossos padrões, ela também era uma candidata improvável para essa tarefa tão relevante. A Bíblia fala pouco sobre suas credenciais, a não ser que era esposa e mãe (Jz 4.4; Jz 5.7), o que não a qualificava para dirigir um país. Porém, ela tinha fé em Deus.

Numa época em que Israel andava aos tropeços e cada homem fazia aquilo que parecia certo aos seus próprios olhos (veja Jz 17.6; Jz 21.25), Deus escolheu uma mulher de grande fé que estava disposta a segui-lo em obediência. Tudo o que Deus precisa na terra hoje, é ter pessoas que realmente façam aquilo que Ele quer, e não o que queremos.

As Escrituras dizem que Débora era uma profetisa, significando que Deus lhe falava e ela transmitia Sua Palavra ao povo. Ela era uma juíza, portanto, julgava as pessoas que vinham até ela para resolver suas contendas. Naturalmente, ela também era esposa e mãe. O reino de Deus está carente de pessoas proféticas, justas e fieis para trazer a vontade Dele, nesse tempo, em meio a tantas coisas negativas, somente uma geração de homens e mulheres proféticos, e que vão trazer a esperança e a glória de Deus.

Débora escreveu um belo cântico (Jz 5) que exalta a Deus e revela muito sobre sua própria pessoa. Ela era uma mulher de profunda fé e grande discernimento espiritual. Havia avaliado a sombria situação de seu país com perspicácia (Jz 5.6-7), compreendeu o motivo da decadência (idolatria, v.8) e assumiu a responsabilidade pela nação (vv. 7,12). Ela tinha tanta autoridade que, quando convocou Baraque, ele veio imediatamente sem questionar sua autoridade ou suas instruções. Débora é a única mulher na Bíblia que não apenas governou Israel como também deu ordens militares a um homem, e isso com a bênção de Deus.

Débora aparentava ser uma mulher “dura” no confronto, mas também parecia extremamente maternal. Hoje, vivendo em um mundo dirigido pelo sucesso e pelas realizações materiais, é fácil esquecer que Deus não deseja tanto as nossas habilidades, mas sim a nossa vontade, o nosso querer que vem da fé.

A Bíblia ensina que nosso tempo na terra é curto: “Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa” (Tg 4.14). Muitas pessoas podem abalar montanhas com suas credenciais e construir reinos com suas aptidões. Mas, no final, o que contará para a eternidade não será aquilo que realizamos com nossas habilidades, mas o que Deus fez através de nós por meio de nossa fé. Estamos ganhando a oportunidade mais preciosa de todos os tempos, para fazer a diferença neste mundo, assim como Débora, nós mulheres estamos na lista de Deus para governar, liderar, amar, e sermos mulheres, mães, esposas, irmãs, filhas de Deus.



Apóstola Izadete Meneghetti